Tirando o cabaço da minha namorada

Abas primárias

Categoria: 

Bom pessoal vamos a essa experiência maravilhosa da minha vida.

Meu nome é José, tenho 18 anos, sou moreno, 1,71 de altura, corpo bem definido pela prática de esportes. E minha namorada, Jéssica, uma branquinha de 1,65 bunda redondinha, cintura fina, peitos médios, e um sorriso lindo.

Era outubro, e ela vivia me enrolando, dizendo que quando eu tivesse só em casa ela viria aqui e enfim transariamos, estávamos nessa a mais de dois anos e um belo dia minha mãe viaja e meu pai trabalhaa o dia todo e como minhaa mãe não estaria aproveitava pra tomar umas, e então chamei ela no whatsapp;

- Ei amor

- oi amor

- Então, lembra que disse que viria quando estivesse sozinho em casa?

-Lembro sim, pq?

- Minha mãe viaja essa semana, a casa é nossa!

- bom, vou ver se minha mãe deixa eu ir.

- Okay.

A mãe dela deixou, e no dia ela me confrimou que viria, eu romântico inveterado, arrumei o quarto, joguei pétalas de rosas (minha mãe plantava rosas) na cama, e sai ao seu encontro. Depois de 20 minutos estavamos de volta.

Chegando ela vendo tudo preparado pra ela, me abraçou forte disse que me amava e começou me beijar, e eu retribuí, e ela me beijando com paixão...

Fui descendo com minha mão apertando sua bunda e ela me alisando a barriga e as costas, e nos beijando, ela bem excitada com a respiração mais acelerada, e eu coloquei a mão dentro da sua calça (legging de oncinhas) e quase não senti sua calcinha. E ela me beijando foi apertando meu pau por cima da roupa e mordendo meus lábios com muita força.

Deitei ela na cama por cima das pétalas e ja fui tirando sua blusa, e quando fui tirar o sutiã ela não deixou. Ela tirou minha blusa beijando meu pescoço e eu puxando seu cabelo devagar, dessa vez eu fui beijando seu pescoço e levantei seu sutiã e comecei beijar seus seios, lindos (biquinhos clarinhos, lindo) assim que encostei a boca eles se enrijeceram e ela arrepiou toda e se contorceu, e eu me dediquei a chupar aquele peitos lindos, segurava um e mamava igual uma criança no outro lambia mordia o biquinho e ela se contorcia todinha e fui descendo pela sua barriga quando puxei sua calça ela levantou o quadril como sinal positivo e eu puxei e comecei lamber aquela buceta, com labios bem grandes o clitóris inchado sempre que passava a língua ela gemia alto e ela me puxou de volta me deu um longo beijo e foi chupar meu pau na posição que estávamos, a buceta dela tava na minha cara não dava pra não chupar e acabamos fazendo um meia nove, e enquanto ela rebolava na minha cara eu bombava na boca dela até que saí de cima dela.

E fui beija-la meio num papai mamãe e meu pau roçando na sua bucetinha enquanto eu beijava ela então decidi tentar penetrar, e comecei esfregando meu pau e ela reclamou e disse pra colocar camisinha.

Peguei a camisinha e coloquei e fui novamente num papai mamãe,posicionei a cabeça e fui empurrando ela me abraçou fez cara de dor e pediu pra eu parar, e então eu disse pra vir por cima e sentar que ela controlaria.

Mudamos de posição, ela por cima veio sentando bem devagarinho até a metade e parou e ficamos nos olhando apreciando o momento. Até que ela começou a subir e descer mas sem entrar tudo e disse que tava muito gostoso e deitou no meu peito e ficou rebolando bem devagar.

Sem sair de dentro dela eu a levantei e coloquei na cama de volta pro papai mamãe e fui beijando sua boca e comecei um vai e vei bem devagar, e ela gemia baixo e eu fui aumentando a velocidade e ela começou gemer mais alto e eu beijei a de língua, ela tava gritando muito alto, e e fui socando mais rápido até ela estremecer e gozar muito, e pediu pra eu tirar.

Tirei fiquei deitado ao seu lado alisando seu peito enquanto ela se recompunha, meio tímida sem me olhar direto, e aos poucos fui me aproximando e encaixei meu pau na porta da bucetinha dela, que agora ja não mais virgem queria meu pau, de ladinho e ela veio me ajudando a encaixar melhor, e foi entrando devagarinho, bem apertadinho até ta tudo dentro, e eu comecei meter forte e ela gemia alto eu ja não me aguentava, e perguntei no ouvido dela se podia gozar, e ela me respondeu, vai goza gostoso, goza. Eu dei mais duas bombadas e gozei, gozei muito. E fiquei ali parado, sem tirar meu pau de dentro daquela bocetinha gostosa. E ficamos um bom tempo parados trocando carícias a tarde toda. Depois disso transavamos todos as vezes que nos viamos.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201802643