Rapidinha dentro do carro na festa de família

Categoria: 

Neste rápido relato vou relembrar uma de minhas saídas com minha querida assistente odontológica karina moraes (como já havia relatado, a achava mto parecida com a atriz global Aline Moraes).

Durante a semana minha querida amiga havia relatado que nao poderíamos sair naquele fim de semana pois ela já havia combinado de ficar com seu filho e que no sabado a noite iriam para a festa de aniversário de seu avó, num primeiro momento até cheguei a ficar chateado (lógico perderia a foda semana e teria que ficar no 5 pra um), ela até que me encheu para ir acompanhando ela na festa, que poderia conhecer seus familiares e tudo mais, mas como naquela época recém solteiro tinha em mente não ter resquícios de relação com ninguém (inclusive já tinha mencionado isso a ela que topou sem pestanejar, porém ja mostrava indícios de arrependimento) decidi não ir acompanhando ela e para evitar qualquer tipo de relação nem dormir uma noite sequer com ela sob o mesmo teto quiça na mesma cama, sempre saia na madrugada mesmo de sua casa.

Mas enfim vamos ao ponto que interessa que é o tema deste conto, no sábado da tal festa conversava com Karina que me pedia para ir com ela, mas como iria trabalhar até mais tarde aproveitei como desculpa para nao ir a tal festa. Como quase sempre trabalhava até a uma ou duas da madrugada mantia contato com ela, numa de suas mensagens já sabedora que não iria entrar na festa e talvez alterada pelo teor alcoólico em seu sangue ela disse que iria a frente da festa para me encontrar e não passar o fim de semana sem dar um beijo.

Cheguei em frente a festa e avise ela que estava lá, sem demorar mto ela aparece trajando um vestido curtíssimo, minha mente logo pensou maldade, ela embarcou no carro nos beijamos e sugeri a ela que fossemos para uma rua mais calma e escura, ela concordou e logo paramos num lugar calmo. Karina pulou logo para meu colo e no atracamos num beijo intenso como sempre fazíamos, logo minha mão ja estava por baixo de seu vestido apertando sua bunda enquanto a outra descia de seu pescoço para puxar o vestido tomara que caia para baixo revelando um sutiã meia taça preto que não foi mto difícil de baixar, processo esse que me fez interromper o beijo para mamar em seus peitos, mordendo seus biquinhos fazendo ela se arrepia e rebolar no meu pau que estava estourando dentro da cueca. Karina procura meu zíper e abre minha calça, se levanta levemente para expor meu mastro, que agora pressiona sua calcinha encharcada, retomamos um beijo que karina inicia a explorar meu pescoço fazendo meu pau latejar forçando a penetração em sua calcinha.

Com uma das mão puxo a calcinha de lado e a penetração ocorre de uma maneira rápida com sua bucetinha engolindo meu pau devido a tamanha lubrificação de kaka, que inicia uma cavalgada alucinante esfregando seu clitóris em meu pau, ora rebolando ora cavalgando o que me leva a loucura enquanto beijo seu pescoço e chupo aqueles peitos maravilhosos, ficamos assim por uns dez minutos até kaka sussurrar em meu ouvido para gozar dentro dela, pedido este que não consegui negar por mto tempo e logo enchi sua xota de porra o que fez karina cavalgar mais rápido e também atingir um orgasmo gemendo alto, por sorte estávamos numa rua vazia e sem movimento.

Ficamos namorando literalmente mais uns minutos com meu pau dentro da xota de karina e ela rebolando levemente, mas aí ela se lembrou da festa e logo levei ela de volta, nos despedimos com um beijo e fui para casa.

Caso alguém deseje trocar contato ou experiências: profgauchodeti@gmail.com

Até um próximo relato.

http://www.casadoscontos.com.br/texto/201703685

Comentar