Pré-Carnaval de Fortaleza

Categoria: 

É UMA CONTINUAÇÃO DO CONTO, CLIQUEM NO MEU NOME PARA LER

Bom, eu estava me sentindo muito mal por tê-lo traído, apesar de ter feito isso com raiva, porem ainda o amava, mas como a situação estava conturbada, pensei em abri o jogo com ele e falar da traição, mas pra variar, brigamos de novo e eu desisti de contar. Fui pra casa da minha irmã passar uns dias lá. No sábado, dia 04 de fevereiro, ela me chama pra ir num pré carnaval aqui em Fortaleza. E eu decidi ir, precisava espairecer um pouco. Chegando lá, dançamos um pouco e bebemos cerveja. Muita cerveja. Ela já não se aguentava em pé, mas estava a todo vapor. Enquanto ela foi dormir no carro, eu continuei a folia e foi ai que os vi. Dois caras conversando e olhando pra mim. Eles eram bem gatos e estavam sem blusa, então deu pra ver como seus corpos eram deliciosos. Fui conversar com eles. Descobri que eram primos, um tinha barba e se chamava Thiago, o outro se chamava Lucas e apesar de não ter nenhum pelo no rosto, era bem peludo do pescoço pra baixo. Conversa vai, conversa vem e com as bebidas, eu já estava bem bêbado e eles também. Numa atitude de momento, segurei o pescoço dos dois, um em cada mão e beijei um, sentindo a mistura da sua língua se enroscando na mina, um gosto de vodca as cócegas da sua barba curta no meu queixo, logo em seguida o outro, ele suspirava fogo da boca, as muitas doses de tequila fizeram um efeito delicioso. Depois disso, começamos uns amassos e o senti, Thiago colocou a mão dentro da minha bermuda, agarrando meu pau já quase duro, enquanto o outro mordia minha orelha e levava minha mão ao seu pau, que por sinal parecia ser enorme. Por tesão, coloquei a mão por dentro da calça de Thiago e de Lucas, apertando aqueles caralhos duros e quentes, ficamos nisso até perceber que já não tinha quase ninguém na rua. Somente alguns mendigos, que olhavam pra gente com reprovação. Gritei "Fodam-se!" Paramos e decidimos ir até um local mais confortável. Lucas morava só em algumas quadras de lá. Decidimos ir. Antes, claro, parei no carro em que minha irmã estava pra ver se estava tudo bem. Ela já tinha acordado e me esperava pra ir embora. Eu dei as boas novas pra ela e minha irmã riu, decidiu ir embora pra não atrapalhar. Concordei e fomos até a casa de Lucas. Fomos direto ao banheiro. Eles tiraram as roupas suadas. Os vi e minha nossa, como eles eram gostosos. Um pau maior que o outro, as cabeças avermelhadas brilhavam com a baba escorrendo. Não consegui me segurar, o desejo de traição foi maior (eu até já estava gostando desse lance de traição). Me ajoelhei e os segurei. Um em cada mão. Senti o peso e a largura, (segurar duas rolonas daquelas e não aproveitar a sensação é um pecado, ainda mais pra um fã de paus como eu sou). Comecei uma punheta bem devagar, eles gemiam. Foi então que passei a língua no caralho de Thiago e em seguida em Lucas. Não resisti e comecei um boquete delicioso neles. Primeiro chupei a glande e em seguida engoli o pau todo, enquanto masturbava o outro, depois fiz o mesmo com o de Lucas. Chupava um, depois o outro. Igual uma puta. Então coloquei os dois na boca, chupando ao mesmo tempo, enquanto massageava seus sacos. Senti algo quente na minha boca. Eles gozaram. A porra deles era deliciosa. Engoli tudo, enquanto os via se contorcerem de prazer. Tomamos um banho pra recuperar as forças e fomos nus para o quarto de Lucas. Eu, já de pau duro e sem gozar ainda me deitei e me mandei me chuparem. Se tem algo melhor que chupar dois paus ao mesmo tempo, é ser chupado por duas pessoas ao mesmo tempo. Thiago começou, beijando a glande com pequenos beijos e Lucas beijava meu corpo todo, desde minha boca, pescoço, peitos, abdômen e minhas coxas, descendo até meu saco e o lambeu, sugou e chupou-o, enquanto Thiago me fazia um boquete delicioso. Desceu até meu cu, que piscava de tesão e passou a língua. Gemi. Pensei que fosse gozar, mas Thiago segurava minha rola com força. Eu estava delirando de tanto prazer. Um chupando meu saco e o outro meu cuzinho. Falei que não aguentava mais e iria gozar. Os dois subiram a boca pro meu pau latejante e passavam a língua em cada lado, até que não me segurei e esporrei, deixando cai porra na minha barriga. Eles foram subindo até lá e passavam a língua, engolindo minha porra. Em seguida, voltei a chupa-los, deixando os seus pauzões duros. Parei e me virei, arrebitando a bunda e abrindo bem o cu pra ser enrabado. Eles pegaram um pacote de camisinha e um deles começou a penetrar. Não virei pra ver quem era, somente fechei os olhos e me entreguei. Comecei a sentir as estocadas fortes, até que ele tirou e o outro enfiou em seguida. Estava com medo de os dois colocarem ao mesmo tempo, mas por sorte ainda não aconteceu. Senti a estocadas mais fortes ainda. O saco batia no meu. Então tirou o pau de novo e senti pancadinhas na minha bunda. Eles estavam batendo com o pau em cada lado da bunda. Depois senti uma dor fina. Dessa vez vi quem colocou a rola no meu cu. Thiago ia e vinha bem devagar, gemendo, enquanto Lucas veio pra minha frente e me mandou chupa-lo. Obedeci, tirei a camisinha e comecei, enquanto rebolava no pau do outro. Novamente senti um liquido gosmento e quente na minha boca. Lucas tinha gozado de novo e estava batendo o pau na minha cara. Enquanto seu primo bombava no meu rabo rápido, senti um gemido e seu pau saiu do meu cu. Senti uma coisa gelada na minhas costas, antes que pudesse me virar pra perceber que na verdade era uma camisinha usada, senti seu pau entrar de novo, mas dessa vez sem camisinha, entrou só a cabeça e ai senti o jato quente no meu cuzinho. Thiago gozara. E eu me deito na cama exausto. Dormimos os três na mesma cama e de manha eu vou embora antes deles acordarem. Mas peguei seus números, um dia quem sabe a gente não marca de novo. Quando cheguei em casa, minha irmã disse que Robério ligou umas 3 vezes. Ainda estava de cabeça cheia da briga e nem resolvi retornar. Fim!

http://www.casadoscontos.com.br/texto/20170437

Comentar