Prazer em mim

Categoria: 

Olá, meu nome é Cíntia, tenho 22 anos, sou estudante do último ano de psicologia e trabalho como atendente em uma cafeteria. Tenho um interesse especial em sexualidade, inclusive meu trabalho de conclusão de curso é nessa área.

Quero entrevistar mulheres de todas as idades e saber como se relacionam com seus próprios corpos, o que lhes dá prazer, quais são seus medos, desejos e até segredos inconfessáveis… sim, temos muitos! Minha ideia é fazer entrevistas cara-a-cara filmando o que elas dizem, e depois, num segundo momento, criar uma situação pública em que elas precisem entrar em conflito contra seus maiores temores sexuais.

Fiz uma experiência comigo mesma, sendo a entrevistadora e a entrevistada. Não tenho coragem de divulgar o vídeo (quem sabe um dia), mas fiz a transcrição das minhas palavras. Gostaria de opiniões de vocês sobre que tipo de situação que eu deva enfrentar, baseada no meu relato. Já agradeço pela leitura! Vamos lá?

-

Entrevistadora: "Você parece uma pessoa expansiva, estou errada?"

Entrevistada: "Na verdade sou bastante tímida, mas aprendi um jeito de lidar com o público e é isso que eu faço: sorrio, falo o mínimo possível e todo mundo pensa que eu sou muito comunicativa."

"Então você também tem vergonha do seu corpo?"

"Muito…"

"Especificamente?"

"Uau, eu tenho que falar sobre isso…"

"É para isso que estamos aqui…"

"Eu sei … bom, meus seios são maiores do que eu gostaria, eles chamam atenção de qualquer maneira mesmo em sutiãs apertados pra tentar diminuir o tamanho. No final do dia meus ombros estão em carne-viva, meus mamilos machucados… é terrível."

"Seria um alívio não usar mais sutiã?"

"Sim e não."

"Porque?"

"À noite, em casa, é um alívio deixá-los soltos. Mas nas ruas… a ideia de colocar uma camiseta e nada mais é um pouco assustadora."

"Você não gosta da ideia de tê-los balançando por aí?"

"Penso no meu trabalho… Ando de um lado pro outro, me inclino sobre as mesas… fico pensando no que meus clientes veriam… e o que eles diriam."

"O que te assusta, então, é a reação que eles podem ter?"

"Exatamente!"

"O que eles diriam ou o que poderiam fazer? Ou os dois?"

"Eu acho que ambos…"

"Você já se sentiu envergonhada por seus seios? Digo, no trabalho?"

"Ah sim, foi com uma senhorinha… esqueci que o café expresso dela tinha que ser com leite… ela tinha deixado isso bem especificado… então quando ela viu que o expresso era normal, ela agarrou meu peito direito com força e perguntou muito alto: 'Garota, você tem leite nessa mamadeira? Eu não sabia que esse estabelecimento estava servindo leite fresco para os clientes!"… e a cafeteria tava lotada! Foi uma vergonha horrível, além do fato de que as marcas dos dedos dela ficaram no meu peito por alguns dias…"

"Nenhum homem tentou fazer o mesmo?"

"Não, felizmente! No máximo eles olham, sorriem, mas nada mais."

"Você disse que seus mamilos doem em seu sutiã. Eles são grandes, suponho?"

"Eles são normais… o problema é o peso dos seios. Eles pressionam o tempo todo."

"Agora, vejo que você está com sutiã. Então você está dolorida, certo?"

"Sim."

"Que tal você relaxar e tirar o sutiã?"

"Você quer que eu mostre meus seios para a câmera?"

"Se você quiser… mas pode ficar de camiseta. Seria a visão que seus clientes teriam."

"Bom, eu vou ficar com a camiseta…"

"Você está animada, não é?"

"Sim… meus mamilos, eles sempre me entregam!"

"Alguém mais te viu assim? Um namorado?"

"Com namorados, eles só me viam nua para fazer sexo. Mas toda vez que eu durmo na casa das minhas amigas, desde que eu era adolescente, eu só uso uma camiseta e calcinha quando tô no quarto. E eu sempre fui a mais animada delas."

"Vocês se divertem sexualmente?"

"Até hoje, na verdade…"

"Não seja tímida, conte!"

"Às vezes nós lambemos e chupamos os mamilos uma da outra até gozar. Não é lenda que se pode ter orgasmo apenas estimulando os mamilos…"

"Você está absolutamente certa! Como você se sente com isso?"

"Bom, minhas amigas demoram um pouco mais, mas é rápido comigo. Eu tenho uma sensibilidade incrível nos meus seios…"

"Você sente vergonha do tamanho deles, mas eles são sua maior fonte de prazer, pelo que você está dizendo…"

"Exatamente isso! Só de saber que uma delas vai me estimular meus mamilos já ficam duros. Até doem de tanta excitação. Mas é uma dor prazerosa, e logo minha buceta fica muito molhada e quente e eu sei que vou gozar… Às vezes eu também estimulo o clitóris apenas pra prolongar a sensação.

"Enquanto você está contando suas experiências, eu vi que seus mamilos permanecem do mesmo tamanho…"

"Sim, eu ainda estou excitada."

"Isso é muito bom para o que vou propor a seguir… Mas primeiro me conta: você disse que nos quartos das casas das suas amigas, você só usa calcinha e camiseta. Sem sutiã, naturalmente."

"Sim."

"Eu suponho que alguma situação embaraçosa já tenha acontecido em alguma dessas casas…"

"Sim, já aconteceu..."

"Enquanto você conta essa história, por que não estimular seus mamilos?"

"Ai meu Deus, é isso que eu tô ouvindo?"

"Não seja tímida, Cíntia."

"Eu acho que vou ter que levantar a camiseta. Eu nunca me estimulei de roupa…"

"Isso é ótimo! Queria ver seus seios ao vivo e a cores!"

"Meus mamilos são uma versão mais clara da cor do meu cabelo, como você pode ver…"

"São lindos! Ei, não pressiona seus seios com os braços, deixa eles soltos… eu vou te dizer: eu realmente gosto de seios grandes onde podemos ver as veias salientes. Isso mostra a força que eles têm, e sua pele branquinha ajuda nisso. E que aréolas incríveis!"

"Você gosta? Eu não sei se gosto ou desgosto, mas eu até dei um apelido pra elas: cookies de morango!"

"Mas por quê?"

"Elas são grandes demais, cada uma tem uma forma própria, são cheias de glândulas, e rosas como as cookies de morango! Eu vendo essas cookies lá na cafeteria todos os dias, por isso não consigo deixar de comparar elas aos meus mamilos.”

"Entendo. Mas o que há de errado, se seus mamilos ficam escondidos o tempo todo?"

"É um problema prático. Eu não posso ter um biquíni menor ou um vestido com um grande decote, porque de alguma forma eles vão aparecer. Mas por outro lado, eles me fazem sentir um enorme prazer…"

"Resumindo em uma palavra, se seu mamilo aparecer casualmente em público, você se sentiria…"

"Humilhada."

"Só por um pedacinho de aréola que aparecesse?"

"Seria como se eu tivesse completamente nua na frente de estranhos. Um verdadeiro pesadelo."

"Mas aqui você está mostrando seus seios para a câmera. Um dia essa gravação pode se tornar pública… isso não assusta você?"

"Pensar nessa possibilidade me deixa bastante nervosa, sim… mas aqui, agora, estou calma… é um ambiente aconchegante, mesmo com aquele sinalzinho vermelho apontando pra mim."

"Isso é interessante… Você falou por alto sobre uma situação embaraçosa que aconteceu na casa de uma de suas amigas…"

"Isso. Mas eu não vou dizer o nome de ninguém, tá bom?"

"Certo! O que importa é a situação, não as pessoas envolvidas."

"E você quer que eu estimule meus mamilos enquanto conto a história…"

"Sim. E eu pediria para você tirar a calça também…"

"E mostrar minha buceta???"

"Você pode ficar de calcinha se for mais confortável. Que cor ela é?"

"Branca. Mas é necessário?"

"Ótimo. Você não mostra nada, mas ao mesmo tempo, se gozar, vai dar pra ver a mancha…”

"Tudo bem… Como você quer que eu me sente?"

"Da maneira como você se sentir mais confortável. Apenas tenha em mente que precisamos ter seus seios e ventre bem visíveis para a câmera."

"Tá… meus mamilos tão insuportavelmente duros e doloridos…"

"Quando você quiser…"

"Eu estava na casa da minha amiga… era algum momento da madrugada… eu tava com sede e fui pra cozinha. Eu nem me lembrei do jeito que eu tava vestida, simplesmente fui lá… eu tava bebendo minha água calmamente quando ouvi alguém parar na porta… Pensei que era alguma das meninas Não sei porque eu não disse nada, fiquei só ouvindo… Então a luz se acendeu, e depois que os meus olhos se acostumaram vi que era o pai da minha amiga, me olhando que nem bobo… no primeiro momento eu não me dei conta, mas logo depois entendi que eu tava sendo uma ótima visão pra ele… minhas cookies tavam perfeitamente enquadradas no pano justo e semitransparente da minha camiseta, e minha camiseta cobria só até a cintura… e minha calcinha, como era minúscula, só cobria o necessário… tô quase gozando…"

"Sim, eu posso ver a mancha na sua calcinha…"

"Eu tava envergonhada, queria me cobrir, mas achei que seria estranho… uuummmm… então eu disse que eu ia beber água, ele também disse isso, nós sorrimos um pro outro e eu disse boa noite pra ele…

"Se você quiser massagear seu clitóris também, fique à vontade."

"Uuuuummmm ... aaaaahhhhh …" (aqui eu fiquei mais ou menos um minuto me recuperando)

"Foi bom?"

"Foi ótimo!"

"Você está realmente molhada!"

"Eu não disse?"

"Agora diga o que aconteceu depois."

"Eu tinha que ir pro quarto, e pra isso eu tive que ficar de costas pra ele ... é claro que ele continuou olhando pras minhas grandes nádegas brancas se movendo pela cozinha dele."

"Você acha que ele se masturba com isso?"

"Se eu me masturbo pensando nisso ..."

"Você contou pra sua amiga?"

"Nunca, eu não tive coragem."

"E o pai dela, no dia seguinte e depois?"

"Ele parecia mais amigável do que antes, mas nada mais. Ele não tentou nada e eu também não criei expectativas …"

"Você acha que ele mantém essa cena na cozinha como um segredo, assim como você?"

"Eu não acredito ... acho que os amigos dele devem ter ouvido essa história várias vezes ..."

"E o que você acha disso?"

"Eu acho que eu deveria odiar ter minha intimidade sendo falada ... mas como você vê a minha condição, não é o que meu corpo diz …"

"Eu vejo que você continua acariciando seus mamilos ... você ainda está com tesão?"

"Não, mas eles ainda são muito duros ... mas isso é só um hábito."

“Acho que por enquanto é só… Mas gostaria de saber qual é o seu sentimento sobre uma possível exposição pública sua?"

"Ansiedade ... mas eu não quero ficar imaginando sobre o eu possa vir a ter que fazer. Eu só quero chegar lá e colocar em prática, sem pensar, porque se eu pensar muito sobre isso acho que posso desistir. "

"E não é isso que você quer…"

"Não. Eu quero testar meus limites e saber como vou me comportar."

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201803589

Comentar

CAPTCHA
Esta questão é para evitar SPAM