O ESQUEMA

Categoria: 

O ESQUEMA

Já que me contaram, eu publico

Eu e minha amiga Joice, estávamos em um bar conversando. Ela me contou sobre uma aventura que teve e que começou nesse mesmo bar

Ela é casada a mais de cinco anos, mas se abriu comigo e não precisou mais que duas cervejas para ela dar com a língua nos dentes.

Contou que seu marido viaja a serviço algumas vezes por mes. Falou que ele dá assistência técnica de máquinas e normal de uma a duas vezes no mês, ficar fora de 2 a 3 dias. O relato dela foi assim:

Tudo começou quando ele viajou numa 4ª feira véspera de feriado prolongado. Tínhamos feito planos de irmos à praia e lá ficar pelado por 4 dias tomando sol na praia ou deitada na cama de uma pensão, fazendo sexo tantas vezes quanto a gente aguentasse. Mas não teve arrego, ele só voltaria na sexta feira.

No final do expediente da 4ª feira pensava voltar solitária para casa quando o pessoal do trabalho combinou um “happy hour”. Eu topei na hora. Junto foi um funcionário de uma outra unidade que veio fazer um treinamento. Juntamos as mesas da padaria que fica em frente ao serviço e nos sentamos. Ele ficou do meu lado. Seu nome era Cesar Augusto.

- Por que veio de mochila? Vai viajar

- Ia, era para eu sair no almoço, mas me seguraram e eu perdi o horário. O esquema agora é ir amanhã. Hoje minha mulher e as crianças foram para a praia. É uma casa em Bertioga, mas não é perto do centro. A casa fica uns 4 quilómetros da estrada. Se tivesse saído depois do almoço eu me aventuro de andar a pé. Lá é tudo mato e a noite eu fico com receio, medo para falar a verdade.

- Tua mulher não pode buscar você em Bertioga?

- Até pode, mas vai minha sogra que tem idade, as crianças são pequenas. Não faz mal,

O esquema agora é ir amanhã de manhã, chego lá pela hora do almoço. Já avisei todos.

Chegamos na padaria as 17h30 min, quando era 18h15 minutos já começaram a movimentar para ir embora. É para eu ficar sozinha em casa mesmo. 18h30 sobrou eu e o Cesar, cada um deu sua contribuição e fechamos a conta.

- Quer continuar a beber qualquer coisa? Vamos abrir uma nova conta. Eu perguntei para o Cesar.

- Tenho um esquema melhor, vamos até um boteco que fica a umas 5 quadras daqui, é tipo bar alemão e lá tem uns canapés ótimos

Fomos andando e conversando, ele era simpático e divertido. Assunto tínhamos para falar a noite inteira. No bar ele sentou no sofá da parede e eu em uma cadeira, pedimos Chopp e os canapés. Eram muito bons, valia uma janta. Ficamos conversando e o tempo foi passando.

Lá pelas 9 horas ele falava em esticar a noite em uma balada. Há quanto tempo eu não vou dançar em uma baladinha á noite. Fiquei com vontade. Pouco depois eu fui no banheiro e quando voltei, me sentei no sofá perto dele.

O álcool ajuda e mais um pouco ele pôs o braço sobre o meu ombro, ficamos com o rosto cada vez mais perto e então nos beijamos. Aquilo era eu aceitando o convite para ir na balada

- Não vai dar certo. Meu marido vai ficar sabendo pelo rastreador do celular. Qualquer hora ele me liga e eu preciso atender.

- Depois eu não vou assim com essa roupa de trabalho e esse sapato com salto

Até que o salto não era muito alto, mas eu não iria com esse sapato jamais.

Então ele me disse.

Tem esquema. A gente pega um Uber, vai até tua casa, você entra pega a roupa para ir na balada, liga para o maridão e deixa o celular em cima da cama. A gente vai para a balada. Quase do lado tem um hotel que é onde eu vou passar a noite e lá você usa o quarto para se trocar. Depois é só pegar suas coisas no hotel e ir de taxi para casa.

Entendeu o esquema?

-Vá lá. Estava mesmo com vontade de ir na balada

Fui até o meu apartamento e pequei uma mochilinha de pano, coloquei o meu vestido vermelho minissaia, umas calcinhas e um estojo de maquiagem. Pensei em colocar um lingerie, mas não sei se iria mesmo partir para o crime. Na dúvida coloquei ela e coloquei uma blusa e uma bermuda se fosse para voltar de manhã.

Nos registramos no hotel, subimos. Ele resolveu tomar banho e eu fiquei espreitando até que vi ele nu. Era um homem gostoso e ver seu sexo me encheu de vontade. Depois foi minha vez, tomei um banho super-rápido, escovei meu cabelo, fiz uma maquiagem supersimples e fomos para a balada.

Na balada bebemos uns drinks mais fortes, e me lembro de dançar com o corpo todo colado no corpo dele. Me lembro que uma vez a pista estava cheia e paramos na borda esperando uma brecha para entrar. Nessa hora ele estava atrás de mim, senti ele me dar uma catracada para não ser esquecida, com direito a sentir seu pau duro no meio das minhas pernas.

Matei minha vontade de estar numa balada. Quando saímos passava da meia noite. Ele passava o braço sobre meu pescoço e meus ombros e me puxava de quando em quando para nos beijarmos. Estava me sentindo uma jovem novamente

Subimos no hotel e quando a porta fechou ficamos nos abraçando e nos beijando. Ele colocou a mão em cima das minhas coxas e ameaçava levantar meu vestido curto. Eu estava achando muito bom e para ser franca eu adoro que me passem a mão na cabeça, nas pernas, na coxa e na minha bunda.

Ele começou a me passar a mão na cintura e então tirei o vestido por cima, estava em sutiã e ele passou a me beijar e chupar o bico do seio. Sentei na cama, ele ficou na minha frente, desfivelei o seu cinto, abaixei suas calças, procurei seu pau que já estava ficando quase todo duro e comecei a lamber bem devagarzinho até que fechei os olhos e coloquei todo na minha boca. Chupei bastante e então deitei com a cabeça no travesseiro.

Agora era a sua vez dele me beijar e lamber inteira. Me deu uns beijos e me chupou a xoxota e eu já estava começando a sentir prazer que o sexo nos dá

Ele interrompia para se despir e quando estava peladinho, fiz menção para ele vir por cima de mim. Senti ele jogar o peso do corpo sobre o meu e senti ser penetrada

Que prazer ver que eu sentia cada vez que o seu pau entrava e saia com ele me comendo. Nessa hora a gente não pensa em mais nada a não ser em sentir o prazer de estar sendo fodida e quando percebi estava gozando naquele pau que não deveria estar ali, percebi que ele também tinha chegado no ápice e gozava gostoso com seu pau dentro da minha xoxota.

Aí então você percebe que pela primeira vez havia traído o meu marido recebendo o gozo de um outro homem e maculando a nossa relação.

Confesso que a primeira vez o remorso foi grande, hoje eu quase não sinto mais.

Era a Joice confessando seus crimes.

Depois de um dia de trabalho com direito a happy hour, balada, ela disse que eles dormiram. Pela manhã ela disse que acordou ele, começou a passar a mão no seu corpo e a segurar e mexer no seu pau até ver o pau bem duro. Ele estava deitado de barriga para cima e então ela subiu no seu corpo. Colocou o pau todo dentro da xoxota e começou a cavalgar em cima dele. A cada movimento o pau entrava e saia na sua vagina. Foi assim que ela logo gozou e mexia cada vez mais forte, prolongando aquela gostosa sensação. Pouco depois ele gozou.

-Eu podia sentir o jato do seu gozo forte no meu útero e sentia o seu pau latejar dentro da minha vagina.

-Juntei minha boca na dele e nos beijamos enquanto ainda estávamos ofegantes.

- Foi uma foda maravilhosa. Dizia ela

- A maioria das vezes a gente fica submissa e os homens nos comem, mas dessa vez fui eu quem comi o rapaz.

Depois ela disse que foram tomar café no restaurante do hotel, e voltaram. O Cesar ainda teve a paciência de abrir o computador e fazer uns acertos no trabalho dele.

Pelas 10 horas eu tomei um banho e me deitei na cama com os braços para acima da cabeça. Agora era a vez dele me comer. Ele me beijou os seios, me beijou o pescoço, depois subiu em cima de mim, passou o pau dele na minha cara, enfiou na minha boca, passou o pau nos seios e subiu em cima de mim para me comer. Continuei com os braços para cima toda submissa deixando ele fazer de mim o que quisesse.

Quando ele penetrou e começou a mexer, então não resisti e comecei a apertar o seu pau com a minha buceta e apertar suas costas com os meus braços para um pouco mais a gente começar a gozar um com o outro. Novamente selamos com um beijo de bocas ofegantes grudadas

Sexta feira a tarde chega o maridão. Olhei para ele e falei que estava com saudades.

- Vamos fazer o esquema de ir para a praia e ficar pelados numa pensão esse fim de semana.

Então arrumamos a mala e fomos para a praia. Tínhamos dois dias para ficar fudendo o tempo todo.

http://www.casadoscontos.com.br/texto/20170234

Comentar

CAPTCHA
Esta questão é para evitar SPAM