O DIA EM QUE COMI: O dia em que comi a prima da Marcinha ex amiga da morena.

Categoria: 

Para quem acompanha meus contos sabe quem é a Marcinha. Pois bem! Certo dia meu carro na revisão, pedi carona a Marcinha que foi me buscar no quartel e lá chegando estava ela, sua prima e uma amiga. Interagimos e fomos conversando até em casa. Marcinha assim como Morena costumava contar as suas amigas nossas aventuras e loucuras, então de cara percebi o olhar diferente meio por baixo da Cris prima da Marcinha e tudo indicava que algo mais iria rolar.

Certo dia eis o esperado, a Cris havia mandando-me um convite de amizade no facebook, então aceitei e começamos a conversar, até que em uma noite dessas de conversa, por volta de 19:30 a Cris me pergunta no wats se poderia dar uma carona para ela até sua casa, pois a sua prima havia ido ao supermercado e deixado ela sozinha e estava demorando. Mais que depressa topei, chegando lá ela entrou no carro, fomos em direção a sua casa, porém ela disse que não estava afim de ir para casa naquele instante. Então fomos para os fundos de uma Universidade que ficava próximo, lá após um tempo de conversa ela foi me contando sobre as coisas que Marcinha falava para ela sobre nós e disse que tinha algumas curiosidades. Eu então respondi quais, ela fez alguns rodeios, perguntas simples sobre se era verdade nossa transa no cinema, no estacionamento do shopping e por ai vai, eu confirmei, então ela disse que tinha outra curiosidade, mas estava com vergonha, depois de uma pequena insistência, ela perguntou se o tamanho era mesmo como sua prima dizia. Então eu disse a ela: Bom! veja você mesmo e mate essa curiosidade, e ao mesmo tempo fui tirando ele para fora da calça, ela colocou as mãos sobre a boca (e ela tinha uma senhora boca deliciosa). Eu disse a ela: Por que tapa a boca? Esta com medo de não resistir? Ela então respondeu: Estou com medo de não aguentar abrir o suficiente, pois seria uma pena se não coubesse tudo aqui dentro. Então eu falei: Então experimenta pra ver se cabe. E ela então caiu sugando ele todo, foi uma chupada fenomenal, e então ficamos loucos dentro do carro, eu a retribui com belas chupadas em seu grelinho, parecia que ela iria inundar minha língua, eu parecia um esfomeado naquela bocetinha da mesma forma que ela parecia uma cadelinha sedenta por linguiça. transamos freneticamente ali mesmo e partimos para sua casa, foi intenso a noite toda.

A Marcinha descobriu por que seu irmão contou que a Cris tinha ido embora comigo e ela viu pelas câmeras da casa ela entrando no meu carro. A Cris não deu muito assunto e pouco tempo depois, eu saindo do serviço ela me disse que estava em sua casa e o portão estava só encostado. Chegando lá estava ela deitada em seu quarto apenas de calcinha virada de bruços. Foi mais uma de muitas noites de sexo louco. A Marcinha claro entrou no jogo, bastava ela saber que a Cris ira sair, ela me ligava, eu dizia que tinha compromisso e logo ela imaginava que eu iria devorar a prima dela, então ela dizia que ou eu iria la comer ela antes ou nunca mais ficariamos. Tive que me exercitar muito para dar conta da Marcinha antes para então partir para Cris, mas confesso que muitas vezes desmarquei com a Cris, pois a Marcinha era um fenômeno na cama.

Depois contarei o relato de como acabei comendo a outra prima da Marcinha chamada Nay e a mãe da Nay. Espero que tenham apreciado mais esse conto.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201804442

Comentar