Depois do cunhado, um moreno gostoso

Categoria: 

Desculpem a demora em voltar, mas meu marido anda marcando muito, e ele não pode sonhar o que escrevo aqui.

Bom, vamos lá.

Depois da história do primeiro conto com o meu cunhado, meu fogo aumentou muito. Me masturbava quase todo dia lembrando ele me chupando e tentando penetrar, mas... Eu permanecia virgem ainda (mal sabia eu o tanto que ainda ia aprontar antes de perder a virgindade).

Eu ficava de putaria com alguns meninos, mas eram muito moles (lembrando, eu tinha 15 anos). Comecei a namorar um desses meninos, mas ele era lerdo demais, dizia que queria me respeitar. E aí fui para uma festa de rua no interior de SP.

É óbvio que eu fui de vestidinho curto, adoro chamar atenção, e a calcinha era minúscula (esse dia até meu pai e meus tios me olharam).

Estava com uma prima e as amigas dela, quando avistei de longe um moço que era amigo de um conhecido.

Fui chegando perto, ficamos conversando. Ele não parava de me secar e me chamou para dar uma volta. Era por volta de 22h30. Quando viramos uma esquina escura, ele, que tinha uns 25 anos, me puxou pelos cabelos e me jogou num muro, sem falar nada, foi me beijando com vontade, pegando nos meus seios com força. Eu fiquei molhada na hora, era um moreno gostoso e cheiroso. Ele começou a levantar meu vestido, e rasgou minha calcinha que caiu no chão... Mas, antes de ele colocar a mão, comecei a chupar seus dedos com muita vontade. Ele ficou louco, e com a outra mão, enfiou os dedos na minha boceta, me levantou no muro assim.

É só então começou a falar que eu era uma safada gostosa, e chupava meu pescoço, meus seus seios e me puxou para um lugar mais afastado, uma casa que ele sabia que estava vazia.

Pulamos um portãozinho, tinha uma mesa de concreto nos fundos, ele me colocou lá, tirou meu vestido e falou: loirinha, que bucetao você tem! Aí ele começou a chupar, morder, minha boceta latejava e doía, mas também era um prazer descontrolavel.

Eu adoro ser dominada, então ele fez o que quis comigo, deixou meus peitos roxos de tanto chupar.

Aí, ele tava me dedando deliciosamente e perguntou no meu ouvido se eu era virgem e eu disse que sim.

E aí ele chocou, falou que não era possível, que eu era muito safada, onde que eu tinha aprendido aquilo. Aí eu respondi: "Esse é meu instinto, deixa eu chupar seu pau pra aprender direitinho como faz".

E aí ele veio, um dos pintos mais gostosos que já vi, grosso, com veias saltantes, ele sem dó falou "então chupa sua putinha, mas vai com força". Enfiou o pinto na minha boca e eu mamei deliciosamente, lambi, mordi... E fiz ele gozar na minha boca.

E ele dizia, meu vc só tem 15 anos, é virgem e faz isso?

Ele até quis penetrar, mas sem camisinha, meu maior medo era engravidar. Então gozei na mão dele, e depois ele chupou meu clitóris e gozei de novo.

Já estava tarde e eu precisava mesmo ir embora, minha prima me esperava e meu pai já devia estar bravo.

Cheguei em casa até mais leve.

Depois disso, foram mais 4 dias de festa, e eu ia com ele no mesmo lugar, mas acho que ele ficou medo de tirar a minha virgindade, só ficamos nessa mesma putaria (uma delícia).

Depois voltei pra casa e precisei tomar uma atitude com o namoradinho que fica para o próximo conto.

Ufa, espero que tenham gostado (só posto fatos reais).

Agora vou atrás do meu marido pra ele me comer, lembrar essas coisas faz eu ficar molhadinha...

http://www.casadoscontos.com.br/texto/201702317

Comentar

CAPTCHA
Esta questão é para evitar SPAM