Colega da Faculdade!

Categoria: 

Olá a todos, aqui é o Michael Starr, tenho 22 anos, morador de Taguatinga-DF, corpo atlético, olhos castanhos escuros, cabelos pretos. Venho aqui postar mais uma de minhas aventuras, dando ênfase na vez que peguei uma colega de faculdade, depois da aula dentro de uma das salas escondido. Esse conto me excita bastante pelo caráter proibido que ele tem, espero que gostem.

A sortuda da vez é Mariana, estudante de arquitetura, com 18 anos, seios médios, uma bunda deliciosa que fica bem evidente quando se observa, uma loirinha espetacular de olhos castanhos escuros, que na época estava no segundo semestre de seu curso e também namorava um rapaz de fora da faculdade.

Então vamos ao conto! Como na maioria das faculdades particulares, havia surgido vagas pra programas de iniciação científica nos quais alunos de diversos cursos poderiam participar, tendo projetos específicos e gerais dependendo do assunto e da área. Como na época estava um pouco sem o que fazer, decidi procurar um tema que me agradasse e fazer minha inscrição. Escolhi um projeto sobre uma pesquisa entre alunos sobre o que agradava e levava cada um a escolher seu curso, um tema meio clichê, mas decidi entrar para ver as implicações e no que daria, além de também poder conhecer pessoas novas.

No primeiro dia do projeto, sala estava relativamente cheia, com pessoas de cursos variados, mas lá estava Mariana no canto da sala só observando tudo. Professora responsável foi dividindo a turma em grupos aleatórios e tamanha foi minha sorte quando caí no grupo daquela loira deliciosa. Feita as apresentações, eu e os membros do meu grupo fomos discutindo sobre o tema que nos foi dado e como procederíamos com a situação. Em um momento, Mariana saiu para atender uma ligação e quando retornou parecia meio abalada e ficou calada no seu canto usando respostas curtas até o final da reunião. Como eu percebi que tinha algo errado tentei intervir e quem sabe ajudar de alguma forma sem maiores intenções até ali.

- Mariana, está tudo bem? Você parece meio chocada...! – disse com um tom de preocupação.

- Estou bem sim, só uma notícia que recebi e não sei se acredito ou não.

- Que notícia seria essa? Desculpa a intromissão, só quero ajudar...se quiser conversar estou aqui.

Mariana então me puxou para uma sala e começou a contar a história de que uma amiga sua havia ligado pra dizer que tinha visto o namorado dela beijando outra e que a mesma amiga mandou a foto comprovando tudo e que estava chocada com aquilo tudo e não sabia o que fazer. Mariana começou a chorar e eu prontamente abracei-a para consolá-la e dizer palavras de apoio e tentando orientá-la a ter coragem e enfrentar o namorado dela a respeito da situação.

Mariana foi se acalmando e ainda no meio dos meus braços foi conversando sobre outros assuntos, tentando não pensar naquilo, me elogiando, dizendo como estava sendo legal com ela e que apesar de eu ser um desconhecido fui o único que se preocupou com ela. Ao perceber o rumo da conversar tentei investir de uma maneira sútil para ver no que dava.

- Mari, o que o seu namorado fez com você não tem perdão. Mas, ele perdeu uma garota fantástica de um belo sorriso e um corpo fantástico. – disse rápido sem pensar muito no que falei.

Aí como na maioria das minhas histórias, aconteceu algo padrão, ou seja, Mariana olhou nos meus olhos e me beijou, uma mistura de desejo e ao mesmo tempo vingança por parte dela. Tentei ir com calma, mas a mesma parecia determinada a fazer o que estava pensando, começou a alisar meu peito, descendo a mão até chegar no meu pau. Tirou ele de dentro da calça e começou a me punhetar sem ligar se alguém pudesse aparecer ali a qualquer momento. Mari, ajoelhou-se e começou a chupar meu pau com maestria sem dizer nenhuma palavra, só me conduzindo e eu estava adorando tudo aquilo. Ela se atentava aos detalhes indo da cabeça até bem fundo na garganta, dando até uma chupada gostosa nas minhas bolas.

Após mais de 5 minutos naquele boquete, a mesma querendo o controle da situação, me puxou ao chão e tirando toda sua roupa na minha frente, sem dizer nada sentou aquela buceta com poucos pelos loiros na minha cara. Sabendo de sua intenção, chupei muito aquela bucetinha, agora sem ligar mais se apareceria ninguém, só queria ter aquela fêmea pra mim por inteira. Após chupar Mari por mais de 10 minutos com direito a lambidas no cuzinho e dedos enfiados, Ela gozou gostoso na minha boca dando leves gemidos para que ninguém pudesse escutar do outro lado.

Novamente com tudo sobre controle, sentou com sua buceta molhadinha no meu pau e iniciou uma cavalgada maravilhosa, dando gemidos mais altos e se soltando, mostrando toda sua puta interior, descontando a traição ali comigo. Mariana gemia e acelerava seus movimentos, enquanto eu segurava naquela cintura, dando tapas na sua bunda e a xingando de várias formas.

Marina então saiu de cima de mim, ficou de 4 e pediu para que eu metesse. Prontamente atendi seu pedido, comecei a socar de leve, acelerando até meter bem fundo naquela putinha, que estava gostando muito de tudo aquilo, pedindo mais e mais. Com medo de alguém aparecer, acelerei meus movimentos e anunciei o gozo a Mariana que num ato rápido ajoelhou-se e recebeu toda minha porra com um sorriso no rosto de menina levada e agradecendo tudo aquilo.

Depois disso, nos arrumamos e saímos rápido daquela sala antes que fossemos pegos. Eu e Mari conversamos sobre o que ocorreu, mas a mesma não quis repetir o que ocorreu naquele dia, preferindo voltar com o namorado e perdoá-lo. Azar o dela, pois levaria chifre novamente com certeza. Bom é isso, espero que tenham gostado do meu conto, comentem e me mandem o feedback de vocês. Contato pelo email: michaelstarr2017@gmail.com , entrem em contato que vocês não irão se arrepender ;)

http://www.casadoscontos.com.br/texto/201704360

Comentar

CAPTCHA
Esta questão é para evitar SPAM