Atendendo a domicílio

Categoria: 

Sem rodeios, o conto é fruto de fantasias, embora tenha algumas aventuras reais, aquelas corriqueiras, considero melhores aquilo que vem da imaginação, que um dia realizaremos...

Meu nome será fictício, minhas características físicas não.

45 anos, divorciado, calvo (cortado a máquina um os poucos que restaram), 1.83m 104Kg, mãos torneadas, bíceps definido, braços grossos, barriga leve de cerveja... O pau considero normal, pensa num tubo desses desodorante de spray, sim, se boto debaixo do pau, desaparece o tubo, só a ponta do aerosol fica a vista...

Um dia, estava trabalhando, recebi um convite numa rede social, um pedido de amizade. Já conhecia a mulher, 30 e poucos, separada e com filho. Antes de aceitar, chamei no bate-papo inbox e expliquei que não poderia, pois tinha namorada e nos meus conceitos, se a aceitasse, a conversa invariavelmente iria para o apelo sexual, pois disse-lhe que a achava muito atraente, ela disse nada a ver, que sou machista e tal, cortando o assunto. No dia seguinte, retornou com uma indagação, disse ter ficado curiosa, expliquei que não saberia me portar, que meus instintos de macho iriam sobrepor qualquer atitude racional... Ela respondeu com o tradicional "Hummmm", daí foi espichar o papo para chegar onde queria... A noite trocamos conversas no whats, envio de fotos e tal... No dia seguinte, marquei de vê-la, um horário pouco propício, pois ela morava com a mãe, uma senhora bastante idosa. Disse que chegaria a casa como técnico do computador, levei uma pequena maleta. Avisei quando estava chegando, me recebeu no portão, adentrei a casa, a senhora na sala, sentada olhando TV. Perguntei onde estava o computador, ela disse: O sr. me acompanhe, com o filho no colo, uns dois anos eu acho... Enfim, chegamos no quarto, onde ela tinha um mini apto, com suíte e uma peça secundária, disfarçando o nervosismo, sentou-se perto, apontou para o notebook, fiquei olhando-a, ela sentada, tirou o seio pra fora, soltando uma alça e fez o menino mamar, algo raro, pois pela idade achei que não mamasse mais... Ele, meio sonolento deu umas babadas e logo apagou, sem se recompor, colocou-o de lado na cama, virado para a parede, nisso, não me contive, tirei o pau pra fora, quando ela virou, se deparou e rapidamente apontei para ela sentar a beira da cama, ofereci para ela mamar, prontamente passou a acariciar meu pau, lambendo e me fitando com os olhos, passando a língua nas veias saltadas, nesse mesmo momento, eu passava o polegar no seio, molhando com o leite que ainda restava no bico...

Quase explodindo, gesticulei para ela virar de quatro, enquanto colocava o preservativo... Foi rápido, devido a situação, os medos tanto da senhora aparecer, quando do menino acordar, encochava e ordenhava os peitos, logo gozamos, fiquei paralizado, sentindo ela retorcer a bunda. Fui ao banheiro, sumi com o preservativo, pedi que me acompanhasse até a porta, e disse-lhe que quando quisesse teria atendimento...

Se gostarem e quiserem papo, jasongaucho1971@gmail.com

Abraço a todos e obrigado pelo tempo desprendido com a leitura...

http://www.casadoscontos.com.br/texto/201702309

Comentar

CAPTCHA
Esta questão é para evitar SPAM